Muitas vezes ganhamos ou compramos lindos vasos de orquídeas e não temos a menor ideia de como cuida-las. O primeiro passo é reconhecer qual é o tipo de  de orquídea que está no vaso. Depois, aos poucos, vamos conhecendo o lugar ideal para aclimata-las em nossa casa. Elas são cultivadas em estufas com ambiente controlado, portanto é muito natural que sofram ao se adaptar em sua nova casa.

 

Cuidados

 

Cattleya : gosta de muita luz mas não suporta sol direto. Meia sombra é o ideal. Se as folhas estiverem muito verdes e viçosas demais, está com luminosidade insuficiente e certamente não dará flores. Evite deixa-la em lugares com muito vento. Regue sempre que o substrato estiver seco. 

 

Dendrobium :  É um tipo muito popular e com preços convidativos. Na década de 70, era mais conhecida como 

orquídea olho de boneca. Mais recentemente foram introduzidas no comércio, as variedades que  formam a florada em uma haste longa e delicada. As cores mais comuns são roxa, amarela com o centro roxo,  branca com a parte central em um tom roxo bem escuro e totalmente branca. Faceis de manter e multiplicar. Gostam de sol direto ( só pela manhã) e regas moderadas. Perfeitas para iniciantes. 

 

Oncidium : É uma espécie bem mais resistente, que gosta de muita luz e o sol da manhã, caso contrário não irá florir. Tem raízes abundantes, próprias para se fixar em árvores. Quando em vaso,  gosta de pedriscos misturados ao substrato. Não requer regas abundantes, mas aceita muito bem generosos borrifos de água e fertilizante em suas folhas.  A mais conhecida das oncidium, pelo menos aqui em São Paulo, é a popular chuva de ouro. Sua beleza reside na delicadeza de sua haste e  flores.

 

Cymbidium : Bastante rústica e pouco exigente. Perfeita para iniciantes. Tolera sol e regas mais abundantes, mas precisa de um solo bem drenado, caso contrario apodrece com facilidade. Não gosta de muito calor, prefere temperaturas mais amenas.

 

Phalaenopsis : É uma das orquídeas mais populares. Linda, resistente e com uma florada de longa duração. É uma das espécies mais indicadas para iniciantes. Requer boa luminosidade porém sem sol direto. Regas moderadas sem acumulo de água no centro da planta, para evitar o apodrecimento.Gosta das raizes expostas, como as Vandas. Raizes grossas,  cerosas e tenras, indicam que a planta está bem aclimatada.

 

Paphiopedilum : Popularmente conhecido como orquídea Sapatinho ou Chinelinho de Vênus. É muito resistente. Cresce e se alastra em touceiras que permitem formar canteiros ou jardineiras.  Resiste bem ao sol e em ambientes pouco iluminados não costuma florir. A flor é bem resistente e tem longa duração, mesmo depois de cortada. É bastante resistente a pragas sendo ótima opção para iniciantes. Costuma florir entre abril e maio.

 

Salvando suas orquídeas

 

Por experiência e observação, percebi que as orquídeas, de um modo geral,  gostam de boa ventilação, mas não de correntes de ar. Precisam muita luz,  porém com pouco sol direto , quando muito o sol do inicio da manhã ou do finalzinho da tarde. Caso contrário, teremos folhas e raízes queimadas. 

Lugares com pouca luminosidade, fazem com que as orquídeas desenvolvam folhas muito verdes e viçosas, mas elas dificilmente irão dar flor.   

 

Quando o pior acontece e a orquídea fica queimada de sol,  você pode tomar algumas providências, as quais listamos abaixo. Aos poucos, a planta irá desenvolver raízes novas e florescer .Isso é observado rapidamente nas orquídeas Phalaenopsis. Nas  Dendrobium,  elas ficam com a haste mais carnuda e bem verde,  juntamente com novas folhas de verde vivo e brilhantes. A seguir começam novos brotos.

Em ambos os casos, as providencias à serem tomadas são as mesmas. 

 

Corte com cuidado, as folhas queimadas e secas ( perto da base da planta).

 

. Regue bem a base da orquídea, no substrato. Deixe escorrer o excesso.

 

. Borrife água nas folhas, sem deixar acumular no centro.

 

. Transfira a orquídea para um lugar ventilado, bem iluminado, porém sem sol direto.

 

. Borrife adubo foliar líquido.

 

Cuidado: Em caso de encontrar alguma praga como pulgões que são pontinhos brancos atrás das folhas, cochonilhas que são pequenos pontos redondos e cascudos que ficam atrás das folhas ou minúsculos pulgões verdes que ficam nos brotos e nas folhas novas, aplique, imediatamente, um antipragas ou inseticida apropriado, conforme as instruções do fabricante. Essas pragas sugam a seiva,  furam folhas e enfraquecem a orquídea.

Bastam alguns cuidados e as orquídeas já reagem rápidamente. Por isso acho tão interessante cultiva-las. Mesmo em péssimo estado, com um pouco de cuidado, elas podem se recuperar.

 

Na hora de replantar as orquídeas, o ideal são os vasos de barro com furos. São especiais para as para orquídeas, pois permitem uma ótima drenagem e a expansão das raízes pelos orifícios. Mantém a temperatura mais amena no verão, pois retém mais água nas paredes de barro, bem como os nutrientes que se fixam nas laterais. Você pode optar por comprar substrato para plantar orquídeas (que já vem pronto) ou montar um vaso com alguns itens bem fáceis de encontrar: casca de pinus miuda, fibra de coco, pedrisco (usado em construções) elascas pequenas de carvão vegetal.

Também pode usar sua criatividade e usar cascas de coco como vasos. Basta esvaziar o coco, furar e prender com arame. Na foto, coloquei uma nova muda de Miltonia.

 

Montagem do vaso

 

1- Molhe bem o vaso de barro.

 

2- Espalhe a fibra de coco no fundo e laterais do vaso.

 

3- Coloque um pouco de pedrisco no fundo do vaso.

 

4- Coloque a orquídea no centro do novo vaso e vá espalhando em volta, o resto do pedrisco e as lascas de carvão, até que ela fique firme. Pressione bem para que ela se ajuste. Se precisar, calce as laterais com mais fibra de coco.

 

5- Molhe bem a planta e deixe escorrer o excesso de água.

 

6- Corte as hastes secas das flores e folhas amareladas.

 

7- Borrife adubo foliar apropriado para orquídeas ou uma formulação de adubo liquido 20-20-20.

 

8- Coloque em lugar à sombra.

 

Para facilitar na hora de cuidar as orquídeas, é bom manter  um kit básico que inclui alguns itens:

 

 

A - Borrifador de água

B - Adubo líquido spray (para orquídeas)

C - Tesoura de poda com pontas finas

D -  Anti-pragas  spray ( cochonilhas e pulgões)

E - Regador de bico fino

 

Existem outros borrifadores menores, que são feitos de vidro. São perfeitos para manutenção dentro de casa, além do que, são lindas peças de decoração.

Servem para borrifar água, ou a mistura de adubo foliar líquido.

 

Dendrobium (frente) e Cymbidium (fundo)